Publicado em

Lápis Cor de Pele

Buscando abolir preconceitos e acolher diferenças, a literatura infantil contribui para criar uma nova consciência fraterna entre as crianças. Em seu livro Lápis cor de pele, Daniela de Brito enfoca esse tema, que não se restringe apenas à questão racial. A cena se passa na escola, quando uma menina pede emprestado um lápis “cor de pele”, e o colega lhe dá um cor de rosa. Intrigada, Ana compara essa cor com a de seu braço e também percebe a cor diferente de seu irmão e, em casa, os pais explicam de onde vem essa diversidade de cores, lição que ela repete na escola.